sábado, 22 de outubro de 2016

Seus pés, seu tênis e a maneira como você caminha dizem muito sobre sua pisada


Avaliar uma pisada parece uma tarefa feita apenas para especialistas, afinal, não é algo que as pessoas costumam fazer com frequência. E isto só ocorre porque raramente nos interessamos em observar como pisamos, a não ser que tenhamos alguma dor ou outro desconforto nos pés. Por este motivo, este artigo foi feito para que todos possam ter uma ideia de como identificar as principais alterações de pisada e, com isso, possam fugir de problemas desnecessários.
Para começar, peça para que alguém olhe você andando. Certamente, esta pessoa (que não precisa ser nenhum perito no assunto) irá perceber aspectos mais gerais como inclinações do corpo, tamanho do passo, movimentos de joelho, assimetrias chamativas e outros movimentos extremamente notáveis, caso existam. Estas informações de alguém leigo no assunto ajudam a repararmos em variações mais evidentes. Outro modo semelhante é caminhar em frente e/ou de lado a um espelho grande.

Depois de uma avaliação geral, vamos para um método mais específico. Pegue um par de tênis com maior tempo de uso e observe sua sola. Olhe sempre os dois, um ao lado do outro. Na sola você encontra zonas de maior e menor desgaste. Tente reparar onde estas zonas estão localizadas e o quanto elas estão gastas ou mesmo intactas. As regiões mais usadas podem ser o reflexo das áreas do pé que costumam receber mais peso (em alguns casos são áreas que ficam raspando no chão e não necessariamente recebem carga). E as regiões menos alteradas são aquelas menos usadas, ou seja, relacionadas às áreas dos pés que não recebem tanto peso. Em seguida, olhe os calçados por trás e tente perceber algum desnível na sola na parte de trás. Esta característica está relacionada ao tipo de apoio do calcanhar. Um desgaste na parte interna sugere um mesmo apoio na parte interna do calcanhar, bem como no caso do desgaste na parte externa, que sugere um apoio na parte externa.
Agora vamos mais a fundo e, utilizando o mesmo calçado olhe a palmilha dele (se for possível retirá-la para fora será mais fácil). A maioria das palmilhas fica marcada com o tempo, sendo possível notar que os pontos de maior pressão do pé fazem o material dela ceder mais que os pontos de menor pressão e por isso, com o tempo, elas nos mostram as regiões do pé mais utilizadas. Por último, vamos observar a sola de nossos pés. Passe a mão de leve e irá reparar regiões onde a pele é mais densa, mais rígida, ou áspera. Estas são regiões tem a pele mais espessa por ser mais usadas e receberem maior pressão e atrito. Por isso, como uma forma de adaptação a pele fica mais espessa. Diferente é o caso das regiões onde a pele é mais fina, macia e lisa, que representam as áreas menos usadas, que recebem pouca pressão e atrito. O fato de descobrir que você usa, por exemplo, mais a parte interna do pé, não significa que precisa colocar um calço em um dos lados, ou que precisa comprar um tênis com reforço unilateral, ou começar a fazer força para corrigir isso, de jeito algum! Muitas vezes, essas alterações não geram dores ou sobrecargas, pois são adaptações harmônicas do seu corpo e por isso, quando alteradas, podem gerar danos irreversíveis. A necessidade de corrigir algumas alterações na pisada deve ser confirmada somente após uma avaliação profissional especializada. Além da avaliação postural, podem ser feitas a baropodometria estática e dinâmica e a escanometria, exames que medem a pressão exata em cada ponto do pé, inclusive durante uma corrida (existem esteiras de corrida com sensores capacitivos para este tipo de avaliação), bem como uma visualização detalhada do formato e das áreas mais utilizadas. Muitos tratamentos para dores nos pés são realizados, apenas, melhorando a postura e estabilidade de articulações superiores como joelho, quadril e coluna. Somente os casos de dores e lesões onde são observadas as influências do pé são tratados corrigindo-se a pisada, com técnicas específicas e uso de palmilhas personalizadas.

FONTE

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Back To Top